Planning Poker – vamos nos divertir e integrar

Semana passada ministrei um curso prático de XP pela AgilCoop. O formato do curso é bem interessante e ideal para pessoas nunca tiveram contato com a metodologia OU conhecem a teoria mas nunca usaram as práticas.

O curso tem 20 horas de duração. O objetivo é usar a metodologia para desenvolver em 4 ciclos de 4 horas uma Pizzaria Online – a AgilPizza. As outras 4 horas são destinadas a explicações básicas e encerramento do curso.

Cada ciclo de 4 horas está dividido em 30min de planejamento, 3.5h de desenvolvimento e 15 minutos de retrospectivas.

O curso é uma versão no meio do caminho entre o Jogo de XP (onde cada iteração dura 1 minuto) e o ambiente de desenvolvimento real (onde cada iteração tem em média de 5 a 20 dias de duração).

A atmosfera de brincadeira e diversão criada em torno desse projeto de pizzaria é um dos atributos chave para o aprendizado da metodologia. Esse ambiente descontraído deveria ser levado mais a sério nas áreas de desenvolvimento das empresas. Se nós conseguimos criar um software de qualidade, com funcionalidades úteis para o cliente numa brincadeira, por que não podemos fazer essa brincadeira todos os dias em nossos escritórios?

Uma pessoa mais desavisada que assiste ao vídeo do jogo do planejamento (nesse curso usamos Planning Poker) não consegue saber se as pessoas estão jogando ou trabalhando.

John Maddog lembrou isso em sua palestra no FISL 9.0. O título da palestra era “Fun and Software Livre! Return of the Jedi!”. Ele contou a história dos grandes projetos de Softwares Livre. A maioria deles surgiu como uma brincadeira, feitos por divertimento pelos criadores (Linus Torvalds no caso do Linux, Mark Spencer no caso do Asterisk).

No modelo do ócio criativo de Domenico Di Masi vemos uma perfeita sincronia entre trabalhar, estudar e o brincar. Os métodos ágeis tem tudo a ver com esse modelo. Quem é ágil brinca, estuda e trabalha! Tudo Junto!

A arte inspira o que é fora da regra, o que é humano, o que é criação. A arte pode ajudar a trazer ludicismo para o trabalho. O estudo ajuda a aperfeiçoar as técnicas de arte e as práticas no ambiente de trabalho. Como vemos, todas essas coisas, trabalho, jogos, estudos e arte estão integradas, interligadas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *