O Teatro na Computação

No ano de 2000, pela iniciativa do Prof. Valdemar Setzer, foi criado no Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP) um curso de Leitura Dramática para alunos de ciência da computação. Desde 2003 a disciplina tornou-se parte do currículo dentre as optativas do curso de computação. Cerca de 30 alunos se matriculam por semestre na disciplina, ou seja, cerca de 500 alunos “computeiros” já participaram dessa vivência.

Os alunos do curso já fizeram mais de oito montagens teatrais, com o auxílio da Professora Jolanda Gentilezza. Estudantes de computação são obrigados a conviver com verdades absolutas, provadas matematicamente. Essa overdose de lógica e digitalidade contribui para afastar os “hackers” do contato com sentimentos, relações interpessoais. O teatro tem o papel de equilibrar o pensamento lígico com o lado analógico e imprevisível do ser humano.

O primeiro benefício direto da prática teatral é o aprimoramento da habilidade de comunicação. O contato com textos de qualidade promovem o desenvolvimento lingüistico. Atuar contribui para o desenvolvimento e formação de líderes comunicativos. Um dos fatores que colabora para o sucesso das empresas é a qualidade da comunicação entre seus funcionários.

O teatro também ensina a lidar com emoções. Ele ajuda na difícil tarefa de reconhecê-las e de perceber suas conseqüências na mente e no corpo. Além de reconhecer os próprios sentimentos, cada ator desenvolve a empatia, capacidade de reconhecer o sentimento de outras pessoas. Isso ajuda as pessoas a trabalhar em equipe, aprimorando os espaços colaborativos.

Ao participar de atividades teatrais, as pessoas têm a oportunidade de desenvolver suas habilidades criativas. No teatro é permitido criar sem limites. Lá é permitido ser diferente e inventar. Todo bom programador quer, no fundo, isso: criar bons programas.

As ciências exatas e a computação são conhecimentos técnicos fundamentais para um grande programador. Essa técnica ele desenvolve diariamente em seu trabalho natural e estudos. A proposta do teatro (e de outras vivências humano-artísticas) é desenvolver a capacidade criativa para que o programador possa usar todo esse conhecimento técnico e lógico que ele já possui para criar coisas maravilhosas e inovadoras.

A lógica, a matemática, a computação, são ferramentas. São técnicas. Conhecer a técnica é fundamental. Mas existe um conhecimento anterior a técnica que deve ser desenvolvido: o conhecimento do que é não-definido (ou mal-definido). O contato com o incerto, o analógico. A vivência com o próprio corpo, a experiência objetiva com sensações. São essas vivências que desenvolvem a criatividade e a comunicação. Quando unimos criação e comunicação com conhecimento técnico e força de trabalho numa empresa de software, temos o ambiente ideal para o surgimento de grandes produtos tecnológicos.

3 Comments O Teatro na Computação

  1. bush

    Daniel Cukier,
    “A lógica, a matemática, a computação, são ferramentas. São técnicas”
    Será?

    Parabéns pelo blog, ainda não tive tempo de dar uma lida geral, mas vou ler.

  2. Fernando Mognon

    Olá Daniel, achei muito interessante esta ideia. Será que depois de tantos anos a disciplina continua na grade?

  3. Daniel Cukier

    Sim, Fernando, continua. Até hoje, a professora Jolanda Gentilezza dá aulas de Leitura Dramática no IME e continua impactando positivamente na vida de dezena de alunos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *