Sem Medo

Transforme a resistência à nova idéia em algo a seu favor. Toda inovação, no fundo, rompe com algo. Logo, a resistência é bem vinda. Precisamos da resistência para testar nossas idéias e convicções. Os céticos são um presente. Eles nos dão informações sobre o caminho que estamos seguindo e sobre como podemos adaptar nossa abordagem.

Talvez o ponto mais essencial da mudança é a nossa forma de lidar com o medo. Num processo de mudança existe medo de dois lados: quem está sendo mudado quer evitar a dor de ter que, talvez, perder algo; quem está promovendo a mudança tem medo de que sua idéia esteja errada. Quando esses dois lados entram em choque surge um impasse. A resistência não é a principal razão pela qual uma mudança falha. É a reação à resistência que causa problema.

Dificilmente se obterá 100% de aprovação numa nova idéia. E isso é bem vindo. Toda lei que não deixa em aberto a possibilidade de sua execução, justamente por sua desobediência, é uma arbitrariedade. Segundo o Tratado de Sanhedrin, em caso de julgamento de penas capitais – quando se faziam necessários 23 juízes -, caso houvesse uma unanimidade na condenação do réu, o julgamento era desqualificado e este liberado. O sentido de tal lei é a desconfiança de que um processo possa ser tão bem conduzido que não paire qualquer dúvida quanto a uma leitura diferente da situação. (A Alma Imoral – Nilton Bonder)

É difícil ouvir quando não concordamos com algum ponto de vista. Normalmente ficamos fixados em nosso ponto de vista. Uma outra abordagem seria encorajar a outra pessoa a falar mais sobre o ponto de vista dela. Só de ouvi-la já ajudará vocês a se entenderem.

Peça ajuda aos resistentes. Certifique-se de que eles sabem que você está ouvindo. Ouça de verdade e tente aprender com ele. Tente fazê-los entender que aceitar a nova idéia não significa jogar fora a experiência deles. Não assuma que a posição cética é fixa. Alguém que inicialmente parecia contra pode se virar a seu favor.

Esse padrão permite que você use a resistência a seu favor, ao invés de a usarem contra você. As pessoas que virem você lidar com os céticos de forma respeitosa vão admirá-lo por isso.

2 Comments Sem Medo

  1. André Faria

    Muito bom Daniel. Acho que as pessoas que resistem as nossas idéias são muito importantes porque elas fazem com que nós busquemos argumentos relevantes para colocar em pauta e tentar convencelas, muitas vezes elas até nos ajudaram a ver que nossa idéia não assim tão ideal ou, pelo contrário, nos ajudaram a ter ainda mais convicção.

  2. manifestonaweb

    Muito interessante esse ponto de vista! As vezes somos “tolidos” antes mesmo de começar. Por isso é melhor mostrar algo já funcionando do que sujerir uma idéia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *