Domain Driven Design em Teatro

Apresentamos hoje na Agile Brasil a peça de teatro sobre “Domain Driven Design”, com algumas melhorias desde a última versão. Quem quiser, pode conferir o roteiro aqui. Mais uma vez, fizemos uma música bacana, um Xote! Segue a letra da música e abaixo o roteiro, que está no git:

Xote do DDD

Sou consultor, estrategista sou doutor
Te pergunto seu cliente:
quem é teu fornecedor?
Se não existe tua sina é conformista
Dessa equipe a minha vista
Tu depende sim sinhô

Dê Dê Dê
Não resolve os problemas,
Mas ajuda a entender

Dê Dê Dê
Só clareia as perguntas
que você vai responder
Continue reading

PLoP – A conferência de padrões

PLoP Portland História

Em agosto de 1993, Kent Beck e Grady Booch patrocinaram um retiro na montanha, onde um grupo de pessoas chegou a um consenso sobre os fundamentos em padrões de software. Ward Cunningham, Ralph Johnson, Ken Auer, Hal Hildebrand, Grady Booch, Kent Beck e Jim Coplien se basearam fortemente nas ideias de Alexander e suas próprias experiências, formando um casamento entre objetos e padrões. O grupo concordou que estávamos prontos para construir, sobre as fundações do trabalho de Erich Gamma sobre padrões orientados a objetos, e usar esses padrões da mesma forma que Christopher Alexander usa seus padrões para planejamento urbano e construções arquitetônicas. O encontro do grupo se deu ao lado (side) de um monte (hill), daí o nome Hillside.

Continue reading

SPLASH (antiga OOPSLA)

OOPSLA

Em 1985, um grupo de 4 pioneiros em programação orientada a objetos decidiu organizar nos EUA uma conferência sobre programação de sistemas orientados a objetos. No grupo estavam Adele Goldberg, Tom Love, David Smith, and Allen Wirfs-Brock, e a conferência foi chamada de OOPSLA (Object-Oriented Programming, Systems, Languages, and Applications). A primeira OOPSLA aconteceu no Hotel Marriott, em Portland, Oregon, em novembro de 1986. Cerca de 600 pessoas participaram, 50 artigos foram apresentados e os participantes ouviram sobre Smalltalk, Lisp, Flavors, CommonLoops, Emerald, Trellis/Owl, Mach, Prolog, ABCL/1, prototypes, e programação concorrente e distribuída de pessoas como Danny Bobrow, Gregor Kiczales, Rick Rashid, Andrew Black, Dave Ungar, Henry Lieberman, Ralph Johnson, Dan Ingalls, Ward Cunningham, Kent Beck, Ivar Jacobson e Bertrand Meyer.

Continue reading

MiniPLoP Brasil 2011

MiniPLoP

MiniPLoP 2011

Software developers have long observed that certain patterns recur and endure across different applications and systems. The growing interest in Design Patterns, Architectural Patterns, Analysis Patterns, Pedagogical Patterns, and so on, represents an effort to catalog and better communicate knowledge, providing handbooks of proven solutions to common problems.

MiniPLoP brings together researchers, educators, and practitioners whose interests span a remarkably broad range of topics and who share an interest in exploring the power of the pattern form. MiniPLoP invites you to add your expertise to the growing corpus of patterns. MiniPLoP focuses on improving the expression of patterns. You will have the opportunity to refine and extend your patterns with the help from knowledgeable and sympathetic fellow pattern enthusiasts. You will also be able to discuss applications of patterns in industry and academia.
Continue reading

Palestra: Padrões para Introduzir Novas Idéias na Industria de Software

Data: Segunda-feira, 8 de Setembro de 2008.
Horário: 13h
Local: Instituto de Matemática e Estatística (IME/USP)
Sala: 254 Bloco A

Novas Idéias: novas formas de gestão, novos métodos de desenvolvimento de software, novas soluções técnicas, novas arquiteturas de sistemas. Com um mercado de software cada vez mais competitivo e agressivo, boas idéias se perdem e são desperdiçadas no meio de tanta informação e novidades tecnologias.

Neste seminário apresentaremos uma forma eficaz de convencer as pessoas a adotar uma idéia. São vários padrões que foram criados para facilitar a aceitação de uma nova idéia dentro de uma corporação. Quais são as forças nas empresas que aceleram ou freiam mudanças e como plantar as sementes da mudança para que abracem suas idéias e que elas sejam implantadas até o fim com sucesso.